Compartilhe

Exemplo na universidade

Compartilhe

As estudantes Beatriz Santos Mendes, Leticia da Costa Meira, Ligia Souza Guido, Liliane Harumi Mizokoshi e Raffaela dos Santos, do eixo de Licenciatura, polo Porto Feliz, da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), desenvolveram sob orientação da tutora Patrícia Alves Oliveira, material didático personalizado para alunos com necessidades especiais, com foco em Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). O trabalho foi aplicado em escola do município.

De acordo com a equipe, o Projeto Integrador (PI) Desenvolvimento de material didático para alunos com necessidades especiais tem como principal objetivo auxiliar crianças com TDAH em sala de aula, onde muitas vezes têm suas necessidades particulares negligenciadas. “É comum ouvir pais e professores reclamarem do comportamento e expressar claramente o cansaço e a impaciência diante do excesso de energia que alguns jovens demonstram”, esclarece o grupo no Relatório Técnico-Científico do PI.

A ação teve foco no aluno Perseu (nome fictício para preservar a identidade da criança), que possui diagnóstico de TDAH, retardo mental leve e transtorno de ansiedade de separação. As atividades interdisciplinares foram planejadas com base na análise dos laudos do discente e na colaboração de uma profissional do Atendimento Educacional Especializado (AEE). Foram elaborados exercícios com diversas propriedades e intuito de potencializar o hiperfoco do aluno, entre eles, caça-palavras, recorte e colagem, pintura e palavras cruzadas. Todos voltados às disciplinas de Ciências e Geografia, desenvolvidos com recursos audiovisual, textual e gráfico, com a ideia de tornar a aula mais divertida e dinâmica.

Interesse pelas atividades

Durante o processo, Perseu demonstrou bastante interesse pelas atividades, certa dificuldade em algumas, como recorte e colagem, em que precisou de ajuda, e mais facilidade em outras, como o caça-palavras. As estudantes de licenciatura da Univesp conseguiram extrair da criança suas melhores qualidades e desenvolver habilidades em que ele tinha dificuldade, preservando sua segurança mental e aumentando seu desempenho com ações lúdicas e personalizadas.

O resultado do PI destaca a importância da inclusão e do apoio personalizado para alunos com necessidades especiais, além de ressaltar o papel fundamental dos professores e da equipe de apoio educacional na promoção do desenvolvimento desses jovens. O relatório técnico-científico apresentado pelo grupo da Univesp oferece uma compreensão da necessidade de cuidados específicos para crianças com dificuldades individuais, na busca de aprimorar a prática pedagógica e garantir uma educação inclusiva e de qualidade para todos os discentes.

Fonte: Governo de São Paulo

Veja também...

A arte, em sua essência vibrante e transformadora, espelha a própria natureza humana. Flexível, mutável e repleta de surpresas, ela reflete a …

No vídeo abaixo, Marcos Mion faz mais um alerta bastante importante. Agora, o apresentador, pai do adolescente atípico Romeo e um dos …

A Justiça de Praia Grande, no litoral de São Paulo, deferiu liminares para que a Amil não cancele contratos de plano de …

plugins premium WordPress