Compartilhe

Jornada de uma adolescente

Compartilhe

Em uma sociedade onde ser “normal” é frequentemente valorizado, o romance “Danielle e o Autismo na Adolescência”, da autora autista Sophia Mendonça, colaboradora do site Coletivamente, oferece uma perspectiva íntima e esclarecedora sobre a vida de uma adolescente com Síndrome de Asperger. A contadora de histórias e crítica literária Roberta Colen destaca esta obra como um marco importante na literatura juvenil, abordando temas complexos como autismo, autoaceitação, e as turbulências da adolescência.

Danielle, uma jovem de 16 anos diagnosticada com Asperger aos 8, representa a luta contínua pela autoaceitação em um mundo que frequentemente mal interpreta seu comportamento. Suas crises, resultado de uma constante autocrítica e ansiedade, são descritas com uma profundidade emocional que desafia a noção comum do autismo “leve”. A personagem principal, enfrentando questões como baixa autoestima, fobia social, e transtornos alimentares, simboliza a complexidade do espectro autista.

A obra de Mendonça vai além de contar uma história; ela proporciona um vislumbre da realidade vivida por muitos adolescentes no espectro autista. A paixão de Danielle por vilões de novelas e seu desejo de ser aceita ressoam com muitos jovens que se sentem marginalizados. Seu refúgio na literatura e no entretenimento artístico é um lembrete poderoso de como a arte pode ser uma forma de escapismo e compreensão.

A importância da família e da aceitação

O relacionamento de Danielle com seus pais, especialmente sua mãe, destaca a importância do apoio familiar. Enquanto seu pai inicialmente nega seu diagnóstico, a mãe permanece uma fonte constante de amor e encorajamento. Este aspecto do romance sublinha a necessidade de compreensão e aceitação dentro da estrutura familiar para indivíduos no espectro.

“Danielle e o Autismo na Adolescência” não é apenas uma história sobre os desafios do autismo; é uma narrativa sobre sonhos, identidade, e a busca por um lugar no mundo. A história de Danielle é uma que inspira empatia e compreensão, e destaca a necessidade de inclusão e aceitação na sociedade.

Para a comunidade da Apae Curitiba e todos que buscam compreender melhor os desafios e experiências de jovens no espectro autista, o romance “Danielle e o Autismo na Adolescência”, de Sophia Mendonça, surge como uma leitura essencial. Este livro não apenas ilumina os aspectos emocionais e sociais do autismo na adolescência, mas também oferece uma história de coragem, autoaceitação e esperança. Através dos olhos de Danielle, leitores de todas as idades podem ganhar uma nova perspectiva sobre as lutas e triunfos dos indivíduos no espectro. Esta obra é uma ferramenta valiosa para educadores, pais, e jovens, proporcionando uma base sólida para discussões sobre inclusão, empatia e o poder da compreensão. Recomendamos calorosamente este livro à nossa comunidade na Apae Curitiba, como uma fonte de inspiração e conscientização sobre a diversidade e riqueza do espectro autista.


Fonte: Apae Curitiba (https://apaecuritiba.org.br/danielle-adolescente-com-autismo/&ct=ga&cd=CAEYAioTODczNjc0MjM3NjI1OTc3MzU5ODIdNGYxN2M2NjhlZjVhMTVhMzpjb20uYnI6cHQ6QlI&usg=AOvVaw1Exn7bN9cq-9LIFeWGb3b3)

Veja também...

Os passeios até o Pratagy Acqua Park, em Ipioca, Alagoas, continuam proporcionando diversão para mais de mil crianças autistas que estudam em …

A influenciadora digital Giovanna Cariry está sendo reconhecida pelo seu trabalho na categoria de Diversidade e Inclusão no prestigiado prêmio iBest. Conhecida …

A Força Aérea Brasileira, por meio da Base Aérea de Natal (BANT), promoveu, nesta segunda-feira (29/04), para o efetivo, familiares e convidados …

plugins premium WordPress