Compartilhe

Prodígio científico

Compartilhe

Aos 13 anos, o brasileiro Brandon de Oliveira surpreendeu o mundo acadêmico. Natural de Duque de Caxias (RJ), o adolescente está no espectro autista e teve uma pesquisa divulgada pela revista científica luso-brasileira Centro de Pesquisas e Análises Heráclito (CPAH). Em seu trabalho, inusitado para a idade, Brandon abordou o tema “caracóis”, tratando de aspectos como anatomia, habitat natural, modos de reprodução e até o uso dos animais na alimentação humana e em cosméticos.

Fabiano Abreu, diretor da CPAH e pesquisador brasileiro, descreve o trabalho de Brandon como sendo “didático”. Ele defende a importância da pesquisa, por trazer informações sobre os moluscos, e ressalta o interesse do jovem pela ciência.

“Não é fácil, nem comum. É o menino mais novo que tivemos aqui com artigo científico, porque na idade dele é muito difícil você conseguir fazer um trabalho desses”, disse.

Para desenvolver seu artigo, o jovem usou a metodologia tradicional da pesquisa bibliográfica e juntou dados diversos sobre os moluscos em um texto descritivo. O resultado foi submetido ao CPAH, sob responsabilidade da Joana Martins Ferreira, coordenadora da revista.

Segundo a pesquisadora, o trabalho chamou atenção pela idade do cientista: “O artigo em questão é de revisão bibliográfica, mas o ponto central é o interesse de alguém tão jovem em observar o que o rodeia e tentar entender mais sobre isso”.

A pesquisa

O adolescente conta que sempre gostou das ciências naturais. Atualmente vivendo em Castelo de Paiva, em Portugal, ele cursa o 8º ano do ensino fundamental na Escola Secundária de Castelo de Paiva e diz que o interesse pelos caracóis começou na nova cidade. “Fiquei curioso sobre eles, há muitos aqui e andei observando-os”, diz.

A análise levou a “descobertas interessantes”, segundo Brandon, como o fato de que os animais possuem reprodução hermafrodita, simetria corporal e que é possível utilizar o fluido que liberam na produção de cosméticos, já que possuem colágeno e elastina.

Quanto ao resultado final da pesquisa, o jovem diz se sentir realizado, dado o esforço empreendido na missão. Até que o artigo fosse aprovado, Brandon teve que submetê-lo a dois processos de revisão. “Estou satisfeito, já que foi muito difícil”, pontua.

Fonte: Correio Braziliense (https://www.correiobraziliense.com.br/euestudante/2023/07/5112624-aluno-autista-de-13-anos-publica-artigo-cientifico-em-revista-internacional.html)

Veja também...

Na última quinta feira, dia 16 de maio, foi o Dia Nacional de Acessibilidade! @alinecastromg é uma referência nessa luta (não deveríamos …

Ter conhecimento básico sobre ABA é fundamental para todos os profissionais que atendem pacientes autistas.Para nós da área motora essa ciência é …

Os passeios até o Pratagy Acqua Park, em Ipioca, Alagoas, continuam proporcionando diversão para mais de mil crianças autistas que estudam em …

plugins premium WordPress