Compartilhe

Reuniões em Uberlândia

Compartilhe

Começaram ontem, as reuniões em 2024 do coletivo de estudantes diagnosticados ou em processo de diagnóstico com transtorno do espectro autista da Universidade Federal de Uberlândia (Coletivo TEA UFU). A periodicidade das reuniões ainda será definida pelo coletivo.

O projeto existe desde abril de 2023 e surgiu a partir de uma iniciativa da professora Valéria Asnis, do curso de Pedagogia, do professor Nuno Manna, do curso de Jornalismo, e também do aluno de Jornalismo Paulo Félix, diagnosticado com o transtorno do espectro autista. Inspirado por projetos de outras universidades, Félix propôs a criação do projeto – que realiza sua divulgação em uma página no Instagram.

O principal propósito do coletivo é o acolhimento de pessoas com o transtorno do espectro autista dentro do ensino superior. “É muito bom perceber que eu não estou sozinho e que existem pessoas passando por situações semelhantes à minha na universidade”, comenta o estudante, acrescentando que o coletivo busca também trazer visibilidade para pessoas autistas, auxiliando na luta por seus direitos. 

Félix teve seu processo de diagnóstico iniciado em 2022, já com suspeitas por parte de psiquiatra e psicóloga que o acompanhavam. Apenas em novembro daquele ano, ele recebeu a confirmação do diagnóstico. “No começo foi um processo complicado. Muitas coisas foram esclarecidas, mas outras ficaram ainda mais nebulosas. Com o tempo e com ajuda de familiares e amigos, o processo de me aceitar se tornou mais fácil. Ainda estou lidando com o diagnóstico e com os empecilhos do autismo, mas o auxílio do coletivo foi e é fundamental para me ajudar a me compreender”, resume.

Condições diversas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) caracteriza o transtorno do espectro autista (TEA) como diversas condições como determinado grau de comprometimento no comportamento social, comunicação, linguagem, além de interesses restritos e realizados de forma repetitiva. 

O TEA costuma ter suas condições percebidas logo nos primeiros cinco anos de vida. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), estima-se que devam existir cerca de 70 milhões de pessoas com autismo no mundo, sendo que a incidência do transtorno é maior em meninos. Para informar a população e diminuir o preconceito em relação ao transtorno do espectro autista, a ONU criou o Dia Nacional de Conscientização do Autismo, celebrado em 2 de abril.

FONTE: https://comunica.ufu.br/noticias/2024/01/coletivo-de-estudantes-com-transtorno-do-espectro-autista-da-ufu-da-inicio-sua

Veja também...

Na última quinta feira, dia 16 de maio, foi o Dia Nacional de Acessibilidade! @alinecastromg é uma referência nessa luta (não deveríamos …

Ter conhecimento básico sobre ABA é fundamental para todos os profissionais que atendem pacientes autistas.Para nós da área motora essa ciência é …

Os passeios até o Pratagy Acqua Park, em Ipioca, Alagoas, continuam proporcionando diversão para mais de mil crianças autistas que estudam em …

plugins premium WordPress