Compartilhe

TDAH: atenção aos sinais

Compartilhe

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é uma condição neurobiológica que afeta a capacidade de uma pessoa de controlar seu comportamento e prestar atenção. Embora o TDAH seja frequentemente associado a crianças, ele também pode persistir na adolescência e na vida adulta.

De acordo com a Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA), mais de 5% das crianças têm Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) no país. Também é possível que crianças sejam diagnosticadas com dois distúrbios ao mesmo tempo. Pesquisas indicam que entre 30% e 50% de pacientes com Transtorno do Espectro Autista (TEA) também apresentam TDAH. 

Carol Borgerth é mãe atípica. Segundo ela, descobrir o diagnóstico do filho Thomás levou dois anos entre acompanhamentos e terapias. “Receber o laudo do meu filho foi um divisor de águas. Visto que, desde quando ele tinha meses de vida, já havíamos notado alguns comportamentos diferentes nele, mas foi com 2 anos que ele foi diagnosticado com TEA e começamos as intervenções. Porém, além de todos os sinais e laudo fechado de autismo, ainda havia comportamentos que apresentavam sinais de outro transtorno, como falta de atenção, agitação extrema, falta de concentração e dificuldade de realizar as tarefas escolares. Então, após 2 anos de acompanhamento e terapias, o laudo dele foi atualizado para TEA 1 de suporte + TDAH. O Thomás hoje está com 4 anos e sempre enfatizo a importância das intervenções e tratamentos terapêuticos. É através deles que estamos conseguindo obter resultados muito significativos”, relata. 

O TDAH é caracterizado por sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade. Crianças com TDAH podem ter dificuldade de prestar atenção em tarefas, seguir instruções, controlar impulsos e manter-se organizadas, afetando muitas vezes o desempenho acadêmico e as relações interpessoais delas. 

A psicóloga Talita Padovan explica alguns sinais que podem ser observados nas crianças com TDAH. “É possível notar certa dificuldade de concentração e desatenção em seus deveres, até mesmo assistir a um filme com calma é um desafio. Esse conjunto de sinais fica bem evidente nas crianças pré-escolares, entre 3 e 6 anos, época em que normalmente já é possível fazer o diagnóstico”, alerta. 

Dificuldade de concentração

Crianças diagnosticadas com TDAH costumam ser mais agitadas, ter mais dificuldade de concentração e são mais enérgicas do que a média, explica a especialista. “Infelizmente, essas crianças muitas vezes são vistas como crianças ‘preguiçosas, bagunceiras, sem educação’, quando na verdade são ‘criativas, intensas e curiosas”, conta.

Embora esses sejam os comportamentos mais populares em crianças com o transtorno, o problema é ainda muito mais complexo e inclui outras características, segundo a psicóloga. “Esses comportamentos são comuns a todas as crianças, mas o problema é quando eles se tornam intensos, o que gera comprometimento no desenvolvimento infantil”, alerta. 

Vale lembrar que o profissional precisa averiguar o desempenho da criança em sua totalidade, assim como por meio das observações dos pais, familiares e professores. A troca de informações e o diálogo sem preconceitos são fundamentais para o diagnóstico correto. 

Veja também...

A arte, em sua essência vibrante e transformadora, espelha a própria natureza humana. Flexível, mutável e repleta de surpresas, ela reflete a …

No vídeo abaixo, Marcos Mion faz mais um alerta bastante importante. Agora, o apresentador, pai do adolescente atípico Romeo e um dos …

A Justiça de Praia Grande, no litoral de São Paulo, deferiu liminares para que a Amil não cancele contratos de plano de …

plugins premium WordPress