Compartilhe

Compartilhe

Os pais de uma criança diagnosticada com transtorno do espectro autista (TEA), de apenas 7 anos, ganharam na Justiça um processo movido contra a operadora de saúde Amil. Após diagnóstico do filho, eles foram informados que havia uma limitação no número de sessões cobertas pelo plano.

No entanto, conforme especialista, o tratamento inclui terapias e o número de sessões necessárias varia de acordo com cada caso. Com isso, a família processou a operadora de planos de saúde e comprovou através de laudos, a necessidade de tratamento com as terapias psicológicas indicadas.

Em decisão do juiz Alexandre Antonio José de Mesquita, da 3ª Vara de Justiça da Comarca de Santa Inês, no Maranhão, a Amil foi condenada a arcar integralmente o atendimento psicológico. Além disso, a operadora deverá pagar R$ 15 mil por danos morais, além do reembolso das despesas já realizadas com o tratamento.

Fonte: Site BNews

Veja também...

Na última quinta feira, dia 16 de maio, foi o Dia Nacional de Acessibilidade! @alinecastromg é uma referência nessa luta (não deveríamos …

Ter conhecimento básico sobre ABA é fundamental para todos os profissionais que atendem pacientes autistas.Para nós da área motora essa ciência é …

Os passeios até o Pratagy Acqua Park, em Ipioca, Alagoas, continuam proporcionando diversão para mais de mil crianças autistas que estudam em …

plugins premium WordPress