20/06 | 2 anos de Coletivamente

Compartilhe

Reconhecimento de habilidades

Compartilhe

Em audiência pública na Comissão de Direitos Humanos da Câmara para marcar o Dia Mundial do Orgulho Autista, comemorado no último dia, especialistas ressaltaram a importância de reconhecer as habilidades das pessoas do espectro autista para garantir a inclusão.

Autor do pedido para a realização do debate, o deputado Luiz Couto (PT-PB) sustentou que a data tem por objetivo “desafiar estigmas e preconceitos” e levar ao reconhecimento de que o autismo é parte da diversidade humana. “Pessoas autistas têm perspectivas e habilidades únicas, que enriquecem nossa comunidade de maneiras diversas e profundas, eles são artistas, cientistas, profissionais de diversas áreas”, disse.

A diretora do Grupo Mais Inclusão, Viviani Guimarães, também sublinhou que as pessoas costumam falar sobre o que os estudantes com autismo não conseguem fazer. No entanto, ela defende a necessidade de observar as potencialidades de quem vive com autismo.

Na educação, ela defendeu que só é possível reconhecer a habilidade de cada aluno com deficiência por meio da elaboração de um plano educacional individualizado. “Eu não estou a dizer aqui para a gente fechar os olhos e não perceber as dificuldades que esse estudante tem. Óbvio que a gente precisa saber quais são as lacunas que estão no desenvolvimento, mas eu preciso ver principalmente no que ele é bom. Quando a gente conseguir fazer esse entrelaçamento do que a gente está ensinando com o que ele gosta, a gente vai fazer com que essa aprendizagem seja muito mais efetiva.”

O diretor-presidente do Movimento Orgulho Autista Brasil, Edilson Barbosa, defendeu a necessidade de diagnóstico precoce para o tratamento adequado do paciente com autismo. O ativista ressaltou que uma lei de 2012 já prevê esse direito, que até hoje não é efetivo, segundo ele. Conforme Edilson Barbosa, o movimento do orgulho autista identificou 12 mil crianças na fila pra atendimento com neurologista só no Distrito Federal.

FONTE: Agência Câmara de Notícias

Veja também...

A juíza Rosa Fatorelli Tinti Neta, da 25ª Vara do Trabalho de São Paulo, deferiu a tutela de urgência pedida por um …

O aumento de diagnósticos de autismo e de decisões judiciais contra o Estado são as principais razões para o crescimento do Benefício …

O Projeto de Lei 1231/24 pretende tornar a Carteira de Identificação de Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea) suficiente para comprovar …

plugins premium WordPress